De acordo com os sindicatos, a redução do ritmo produtivo em Itália deve-se com a quebra de vendas no mercado chinês.

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) cortou a produção nas fábricas italianas devido à queda das vendas na China de modelos Alfa Romeo e Maserati, alegadamente devido a novas leis – que, entre outras coisas, proíbem os fabricantes de imporem stocks aos concessionários. Os sindicatos das unidades fabris italianas dizem à Automotive News Europe que a linha de produção do novo Maserati Levante em Mirafiori terá de fechar duas semanas entre outubro e novembro, e que a fábrica de Cassino, onde são feitos os Alfa Romeo Stelvio e Giulia, viu este mês o ritmo produtivo cair de 300 para 265 carros por turno. Isto sucede depois de uma paragem de quatro dias em meados de setembro que representou uma perda superior a 2 mil unidades.

A FCA não quis comentar esta notícia.

O analista da Jato Dynamics, Felipe Munoz, ressalva, no entanto, que a Alfa Romeo deverá vender entre 130 e 140 mil unidades em 2017, o que é “um excelente resultado”, tendo em conta que Sergio Marchionne, o CEO da FCA, previa 170 mil unidades.

Recorde-se que a FCA também já reduziu a produção do Fiat 500X e do Jeep Renegade em Melfi, apesar de os modelos em questão pertencerem a um segmento em expansão. Os trabalhadores desta fábrica já tiveram 21 dias de lay off este ano (incluindo 11 no último trimestre). Em resultado disso mesmo, a produção dos dois modelos caiu 25% nos últimos três meses. As vendas do 500X caíram 15% na Europa em agosto e as do Jeep Renegade 1%, segundo a Jato Dynamics.

Contudo, de acordo com a FIM, a produção total das fábricas da FCA em Itália cresceu 3% nos últimos três meses. Em Cassino, a produção subiu 60% com o lançamento do Stelvio e o facto de o Giulia ter atingido o máximo da sua capacidade.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes